PARA DIZER QUE SIM
2005

 da Página

Para dizer que sim, 2005.
Para dizer que sim, 2005.

Fotografia. 40 x 60 cm.

Para dizer que sim, 2005.
Para dizer que sim, 2005.

Fotografia. 40 x 60 cm.

Para dizer que sim, 2005.
Para dizer que sim, 2005.

Fotografia. 40 x 60 cm.

1/4

PARA DIZER QUE SIM,

Photography and video projection, 2005.

DA PASSAGEM, 2015.

Priscila Sacchettin            

 

"Dois trabalhos muito opostos. É o que pensamos ao ver a exposição “Da Passagem”, por Dália Rosenthal e Murilo Kammer, composta por fotografias derivadas de dois trabalhos em vídeo. Apesar de dividirem um formato (vídeo/foto), é o contraste entre as duas obras que primeiramente nos chama a atenção. Dália nos mostra o vídeo “Para dizer que sim”, realizado durante viagem feita com amigos. Reunidos ao redor de uma mesa, convivem como tantas outras vezes, até que, um pouco por acaso, um deles, músico, começa a flautear uma música de Pixinguinha. Dália liga a câmera e captura um momento de convergência espontânea: aos poucos, o som da flauta envolve as pessoas, que respondem a essa espécie de convite improvisando uma dança ou cantando. Nessas imagens a luz é pouca, a presença humana é constante e a música acompanha todo o vídeo (e podemos supô-la mesmo nas fotos)".

 

OF THE PASSAGE, 2015.

Priscila Sacchettin

 

"This is what we think of when we see the exhibition" Da Passagem ", by Dália Rosenthal and Murilo Kammer, composed of photographs derived from two works in video, although they share a format (video / photo), it is the contrast between the two works that first caught our attention.Dalia shows us the video "To say that yes", realized during a trip made with friends.Gathered around a table, they coexist like so many other times, until, a little by chance , one of them, a musician, begins to flute a song from Pixinguinha. Dália turns on the camera and captures a moment of spontaneous convergence: gradually the sound of the flute surrounds the people, who respond to this kind of invitation by improvising a dance or singing. In these images the light is low, the human presence is constant and the music accompanies the entire video (and we can assume it even in the photos). "